PSOL também pediu à Justiça Federal de Brasília que anule a nomeação do presidente da Fundação Cultural Palmares

.

A Fundação Palmares poderá ter em 2020 seu orçamento mais baixo nos últimos 10 anos. Levantamento feito pela assessoria do PSOL indica que no Projeto de Lei Orçamentária Anual para o próximo ano, o primeiro elaborado pela gestão do presidente Jair Bolsonaro, a previsão é que a fundação fique com R$ 15,9 milhões. Isso significa uma redução de 38% em relação aos R$ 26 milhões previstos para esse ano, que já havia tido o orçamento mais baixo da década.

A bancada do PSOL também protocolou ontem (2/12) ação que pede afastamento de Sérgio Nascimento de Camargo da presidência da Fundação Palmares. O documento, com pedido de liminar urgente, revela que “trata-se de verdadeira sabotagem dos poucos avanços que a população negra conquistou em nosso país".

"O estado de coisas, que já era absolutamente inconstitucional, com a nomeação questionada tem a real e capacidade de ficar ainda pior, com danos irreversíveis", segue a ação.

Sérgio Nascimento de Camargo, disse que não há "racismo real" no Brasil, que a escravidão foi "benéfica para os descendentes", e que o movimento negro precisa ser "extinto". Os parlamentares exigem que Camargo seja afastado do posto, caso o juiz federal não anule a nomeação.

A ação é assinada pelos deputados Talíria Petrone, Áurea Carolina, David Miranda, Ivan Valente, Luiza Erundina, Fernanda Melchionna, Sâmia Bomfim, Marcelo Freixo e Glauber Braga.

ImprimirEmail