PSOL protocola para impedir acesso irrestrito a armas

PSOL protocola para impedir acesso irrestrito a armas

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados apresentou, nesta quarta-feira (8), um Projeto de Decreto Legislativo (nº 227), para sustar o decreto de Jair Bolsonaro que amplia o porte de armas no Brasil, inclusive para donos de clubes de tiro, proprietários rurais, políticos eleitos, agentes de trânsito e caminhoneiros, entre outros grupos.

O PSOL também vai apresentar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o decreto.

Para o partido, a iniciativa de Bolsonaro é um retrocesso inadmissível das políticas de controle de armas de fogo e do seu uso. “Ao facilitar amplamente a posse, porte, registro e comercialização dessas armas, tenderá a agravar ainda mais o quadro de violência que assola o país”, afirma o projeto do PSOL.

Além disso, o decreto usurpou as prerrogativas do Congresso Nacional para legislar sobre material bélico, como já decidiu o próprio Supremo.

Segundo pesquisa recente do instituto Datafolha, 64% da população brasileira consideram que a posse de armas deve ser proibida e que isso não aumenta a sensação de segurança. “Diversos estudos apontam que ampliar a quantidade de armas de fogo em circulação produz aumento dos índices de homicídios intrafamiliares, feminicídios, suicídios, a possibilidade de acidentes envolvendo crianças e adolescentes, violência contra a mulher, os homicídios por motivos fúteis e por conflitos interpessoais variados, além de facilitar o acesso de criminosos a armas de fogo”, afirma o texto.

Para o PSOL, a medida vem na contramão do combate à violência e segurança pública, fere flagrantemente o direito à vida e da dignidade da pessoa, colocando em risco iminente a vida dos brasileiros.

 

https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=42A859F67F727705E21E5B51DC382EFE.proposicoesWeb2?codteor=1742920&filename=PDL+227/2019

ImprimirEmail