Antissistêmico, popular e radical: programa do PSOL nas eleições é construído a muitas mãos

O PSOL, junto ao PCB e aos diversos movimentos sociais que constroem a pré-candidatura de Guilherme Boulos e Sônia Guajajara à Presidência da República em 2018, fará nos próximos meses um processo coletivo de construção do programa que será apresentado no pleito eleitoral.

A base dessa construção é o acúmulo da plataforma Vamos!, que realizou em 2017 mais de 50 debates presenciais e coletou mais de 100 mil interações online, buscando apresentar propostas para transformar o Brasil numa perspectiva de garantir direitos e trazer a população para o centro das decisões.

A resolução sobre o tema, aprovada na Conferência Eleitoral do partido, afirma que o tempo da conciliação acabou e é hora de construir um programa essencialmente antissistêmico, popular e radical, que combata o avanço do conservadorismo na sociedade.

“Num país em que seis pessoas concentram a mesma riqueza que cem milhões de brasileiros, em que os bancos ampliam seu lucro em 21 % e o agronegócio amplia o desmatamento da Amazônia em 27% – num único ano – mesmo com crescimento econômico negativo, não é de se estranhar que se amplie entre o povo o medo de um futuro ainda pior”, afirma a resolução.

O texto aponta, ainda, o formato de construção desse programa – totalmente fora da lógica dos partidos tradicionais, que decidem tudo a portas fechadas. A aliança vai promover a reunião de inteligências em grupos de trabalho para debater temas que vão desde a economia, o poder e a saúde até a democratização da comunicação, políticas públicas de juventude e o combate às opressões de gênero, raça, orientação sexual, entre diversos outros temas.

O processo vai ainda para consulta pública, em 16 encontros presenciais e com uma plataforma online, que posteriormente vão para a sistematização na coordenação da campanha.

Leia e baixe a resolução completa clicando aqui

DO PSOL Nacional

ImprimirEmail