Nota de Marcelo Freixo

Nota de Marcelo Freixo

O Rio viveu um dia trágico. Willian Silva sequestrou um ônibus, fez 37 reféns e acabou morto. A polícia agiu de acordo com o que prevê a lei e de forma técnica. A legislação autoriza esse tipo de ação em situações críticas, em que há risco iminente à integridade de terceiros.

O governador Wilson Witzel acertou ao entrar em contato com a família de Willian. Porém sua comemoração, ao chegar no local do sequestro, não contribui em nada para melhorar a Segurança Pública. Equilíbrio e serenidade são atributos essenciais para governar um lugar como o Rio de Janeiro.

O episódio deveria mostrar que a política de Segurança Pública pode e deve ser feita dentro da lei, o que não está ocorrendo nas favelas do Estado. Não há o que comemorar.

 

ImprimirEmail