PSOL questiona na PGR indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador nos EUA

.

A bancada do PSOL vai acionar a Procuradoria Geral da República para verificar a legalidade da indicação de Eduardo Bolsonaro a embaixador do Brasil nos EUA.

Ao indicar um de seus filhos, sem qualquer experiência ou formação no campo diplomático, para o posto de embaixador, o presidente viola as normas contra o nepotismo e os princípios constitucionais, em especial a moralidade e a impessoalidade.

A legislação determina que os chefes de missão diplomática devem ser escolhidos entre os ministros de primeira classe, que chegaram ao topo da carreira no Itamaraty. “Excepcionalmente”, diz o texto, podem ser indicados outros brasileiros com mais de 35 anos, “de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao país”.

Se confirmado embaixador nos EUA, o desejo entreguista de Eduardo Bolsonaro se somará a sua ausência de preparo ou experiência para o posto: uma mistura perigosa para os interesses do povo brasileiro.

 

PSOL questiona na PGR indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador nos EUA

A bancada do PSOL apresentou há pouco representação à Procuradoria Geral da República para investigar a legalidade da indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada em Washington. A representação é contra Jair e Eduardo Bolsonaro. Para o PSOL, a indicação constitui fraude à Constituição.

ImprimirEmail