Talíria Petrone denuncia Witzel à ONU sobre mortes cometidas por policiais no Rio de Janeiro

Talíria Petrone denuncia Witzel à ONU sobre mortes cometidas por policiais no Rio de Janeiro

A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) enviou à Organização das Nações Unidas (ONU) ofício no qual denuncia a agenda genocida do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Entre os meses de janeiro e março deste ano, 434 pessoas foram mortas pela força policial do Rio de Janeiro.

A violência utilizada pelo governador se intensificou desde o fim de semana. De um helicóptero, Witzel comandou disparos arbitrários em uma favela de Angra dos Reis. Na segunda (6), mais oito pessoas foram mortas em uma operação semelhante no Complexo da Maré.

A deputada lembra que Witzel foi, infelizmente, eleito com a garantia de que a polícia poderia atirar na cabeça de qualquer um que estivesse portando uma arma nas favelas. “Desde o início de seu governo, ele vem banalizando o uso de franco-atiradores em operações policiais. Mas neste fim de semana a legitimidade da violência policial passou para outro nível, com o próprio governador dando uma volta em um helicóptero da polícia que estava filmando aleatoriamente uma favela na cidade de Angra dos Reis”, ressalta Petrone.

A política do governador do Rio é endossada pelo presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Justiça, Sergio Moro, que defendem um pacote de medidas que tem como alvo a população negra da periferia.

No ofício enviado à ONU, a deputada pede que a entidade condene as atitudes do governador do Rio, que são contrárias a todos os compromissos de direitos humanos assumidos pelo Brasil nos últimos 31 anos.

 

Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

ImprimirEmail