Coaf apontou que foram movimentados mais de R$ 1,2 milhão em um ano.

PSOL cobra do governo federal informações sobre movimentações financeiras de ex-assessor de Bolsonaro.

O PSOL protocolou, nesta segunda-feira (10), requerimento no qual solicita do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) informações sobre a investigação envolvendo o ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro e a movimentação de mais de R$ 1,23 milhão no período de um ano.

O ex-motorista de Bolsonaro, Fabrício José de Carlos Queiroz, além de movimentar mais de R$ 1 milhão em operações consideradas suspeitas, segundo o Coaf, também depositou R$ 24 mil na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

No Requerimento de Informações, a bancada do PSOL pede a discriminação das datas, tipos de operações e nomes dos envolvidos nas operações bancárias, cópias dos documentos e do relatório do Coaf e questiona se o empréstimo, conforme declaração de Jair Bolsonaro, de R$ 24 mil consta na declaração de Imposto de Renda.

A investigação faz parte da operação Furna da Onça, um desdobramento da operação Lava Jato no Rio de Janeiro que prendeu dez deputados estaduais. O relatório do Coaf aponta movimentações financeiras de servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Rio e de pessoas relacionadas a eles que, segundo a investigação, são incompatíveis com a capacidade financeira dos citados.

 

Veja a íntegra do RI:  http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1699127&filename=RIC+3754/2018

 

Foto: gazeta do povo

ImprimirEmail