Nota oficial do PSOL sobre as mobilizações do dia 20 de agosto

O PSOL não aceitará que as mobilizações convocadas para denunciar o avanço conservador tornem-se atos de desagravo a um governo"

Foi convocada para o próximo dia 20 de agosto uma jornada nacional em defesa da democracia, dos direitos sociais e contra o ajuste fiscal de Dilma e Levy. Essa jornada, e os eixos em torno dos quais ela se organiza, foram definidos consensualmente em diversas reuniões realizadas por entidades dos movimentos sociais que lutam por uma saída à esquerda para crise política, econômica e social que o Brasil vive. O PSOL e as entidades que contam com a presença de seus militantes incentivaram a construção deste dia de lutas desde o primeiro momento por compreender que o terreno mais adequado para lutar contra os efeitos do ajuste fiscal, a retirada de direitos e o avanço da agenda conservadora, são as ruas.

Com o aprofundamento da crise política, na semana passada, entidades e partidos que sustentam o governo da presidenta Dilma decidiram jogar peso nos atos que estão sendo organizados no dia 20. Para o PSOL, quaisquer entidades são bem-vindas, desde que estejam de acordo com os eixos construídos unitariamente para a convocação dos atos. No entanto, muitas destas entidades e partidos estão tentando transformar o dia 20 numa data em defesa do governo Dilma. Isso tem sido verificado nas redes sociais e nas reuniões para a organização dos atos em cada estado.

Isso ocorre ao mesmo tempo em que é anunciada uma nova ofensiva preparada por Dilma e seus aliados no Senado Federal para aprofundar o ataque aos direitos sociais com vistas a atender demandas do mercado e, com isso, salvar o mandato da presidenta. A chamada "Agenda Brasil" prevê a regulamentação das terceirizações, a revisão do marco jurídico das áreas indígenas, acelerar a liberação de licenças ambientais, cobrar por serviços no SUS, ampliar a idade mínima para aposentadoria, dentre outras medidas.

Por isso, o PSOL reafirma que não aceitará que as mobilizações convocadas originalmente para denunciar o ajuste fiscal, o avanço conservador e a retirada de direitos, tornem-se atos de desagravo a um governo que segue aplicando a agenda das elites brasileiras. Convocamos toda a nossa militância para tomar as ruas com os movimentos sociais combativos no dia 20 de agosto com as bandeiras presentes na convocatória original e deixamos claro, assim, que não nos somaremos a atos de desagravo ao governo Dilma

Vamos tomar as ruas com cartazes, faixas e bandeiras que denunciem os ataques aos direitos dos trabalhadores, venham de onde vierem. A hora é de mobilização e luta. Não recuaremos!

 

Executiva Nacional do PSOL
Brasília, 12 de agosto de 2015 .

ImprimirEmail